Anatomia Arterial e Venosa Aplicada

Anatomia Arterial e Venosa AplicadaAutor: Luiz Carlos Buarque de Gusmão.

ANATOMIA ARTERIAL
Artéria aorta

Principal tronco sistêmico, esta artéria tem origem no ventrículo esquerdo, em seguida dirige-se para a direita e para cima dentro do mediastino médio, constituindo a artéria aorta ascendente, da qual têm origem as artérias coronárias. Daí, ela curva-se para a esquerda e para trás, adentrando no mediastino superior e formando o arco aórtico, ao nível da segunda articulação esternocostal do lado direito, do qual são emitidos o tronco arterial braquiocefálico, a artéria carótida comum esquerda e a artéria subclávia esquerda. No seu trajeto, o arco aórtico mantém íntima relação com o brônquio principal esquerdo, situado inferiormente e à direita com o esôfago torácico, determinando neste, uma constrição que poderá ser importante no “stop” dos corpos estranhos deglutidos, podendo favorecer a formação de fístulas esôfago-aórticas, por vezes, fatais. A parte final do arco da aorta é visível numa radiografia de tórax, sendo denominado de “botão aórtico”. Mais para a esquerda, o nervo recorrente laríngeo esquerdo contorna seu cajado, o que constitui um fato relevante, pois quando o arco se encontra dilatado por processos aneurismáticos, o nervo pode ser comprimido levando a uma disfonia persistente.

 Para visualizar e baixar o capítulo completo acesse:

GUSMÃO, Luiz Carlos Buarque de. Anatomia Arterial e Venosa Aplicada. In: PITTA, Guilherme Benjamin Brandão; CASTRO, Aldemar Araújo; BURIHAN, Emil. Angiologia e Cirurgia Vascular: Guia Ilustrado. Maceió: UNCISAL/ ECMAL. 2003.
(Tamanho: 248 KB)

Artigos relacionados:

Artigo da mesma fonte:

Análise das Variações Anatômicas Mais Frequentes Descritas entre 2010 e 2012

Análise das Variações Anatômicas Mais Frequentes Descritas entre 2010 e 2012

Autores: Alisson de Alcântara Itacarambi; Gilvan Lopes dos Santos; Igor Gomes de Oliveira; Nilza Nascimento Guimarães.

A anatomia humana constitui um conhecimento fundamental para o profissional de saúde, pois o corpo humano é o seu objeto de trabalho. A descoberta de variações anatômicas constitui um marco importante no estudo da anatomia humana, porque fornecem subsídios para a interpretação das mais variadas situações em que os tratamentos requerem abordagens invasivas pelos profissionais de saúde. Neste contexto o presente trabalho teve por objetivo levantar incidência das variações anatômicas mais frequentes entre os anos de 2010 e 2012, caracterizado por meio da adequada avaliação de artigos científicos indexados que descrevem os achados anatômicos, o que vem a identificar os últimos estudos envolvendo esse tema. Foram ressaltados os achados mais frequentes e destacou-se a relevância de cada tipo para os profissionais da área de saúde em face ao parco conhecimento a respeito das inúmeras variações anatômicas existentes e suas possíveis consequências. Na presente investigação foram encontrados 260 artigos sobre variações anatômicas, publicados entre 2010 e 2012. Deste total, as publicações sobre o sistema esquelético representam 21,9% das variantes encontradas, enquanto os artigos descrevendo variantes do sistema circulatório foram 33,8%, do sistema muscular 9,2%, digestório 7,7%, respiratório 3,8%, nervoso 18,5%, urinário 2,3% e sistema endócrino apenas 2,3%. As publicações sobre o sistema sensorial (0,4%) representam o menor número de artigos científicos encontrados. A prevalência destas e outras variações anatômicas devem ser ponderadas nas condutas cirúrgicas e diagnósticas, ainda que não aparentem interferir no funcionamento do organismo, reforçando a importância da sua aplicação na grade curricular de ensino da graduação.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

ITACARAMBI, Alisson de Alcântara; et. al. Análise das Variações Anatômicas Mais Frequentes Descritas entre 2010 e 2012. Revista Eletrônica de Educação da Faculdade Araguaia [online], v. 5, p. 114-122, 2014.
(Tamanho: 69,1 KB)

Artigos relacionados:

Corpo Humano: Fundamentos de Anatomia e Fisiologia 8ª Edição

Corpo Humano - Fundamentos de Anatomia e Fisiologia 8ª EdiçãoAutores: Gerard J. Tortora; Bryan Derrickson.

Corpo Humano: Fundamentos de Anatomia e Fisiologia chega à sua oitava edição amplamente ilustrado e didático, reunindo informações sobre a estrutura e as funções do corpo humano, com ênfase na homeostase.

Para visualizar uma amostra do livro acesse:

TORTORA, Gerard J.; DERRICKSON, Bryan. Corpo Humano: Fundamentos de Anatomia e Fisiologia. 8. ed. Porto Alegre: Artmed, 2012.

Artigos relacionados:

Artigo da mesma fonte:

Estudo Anatômico dos Ossos do Crânio no Homem

Estudo Anatômico dos Ossos do Crânio no Homem

Autores: Jorge Antônio de Almeida; Geraldo Marco Rosa Júnior; Eduardo Aguilar Arca; Maria Amélia Ximenes; Livia Souza de Conti; Flávia Maria Fantin Vono; Stela Neme Daré de Almeida.

Introdução: o crânio apresenta, às vezes, ossos supranumerários chamados ossos suturais ou wormianos. Normalmente irregulares em forma, tamanho e espessura. São encontrados no trajeto das suturas lambdoide e sagital, podendo as vezes também, apresentar-se nos lados do crânio, na base do crânio, na sutura entre o osso esfenoide e etmoide, raramente nas suturas da face. Objetivo: o propósito deste estudo foi analisar a forma e localização de ossos suturais em crânios humanos. Método: Foram analisados 35 crânios humanos, de uma amostra por conveniência, pertencente ao material preparado para estudos práticos no Laboratório de Anatomia Humana da USC, sendo feitos para cada caso, fotografias e desenhos esquemáticos para ilustração deste trabalho. Resultados: dos 35 crânios estudados, 14 (40%) apresentavam ossos suturais. Dois casos (6%) foram observados ossos interparietais e um caso (3%) o osso interparietal apresentou-se bipartido. Em 12 (34%) casos apresentavam ossos suturais laterais e medianos na região da sutura lambdoide. Observou-se um caso em que o osso occipital apresentou um forame anômalo e pequenos ossos suturais na sutura lambdoide. Conclusão: conhecimento desta variação é relevante para a anatomia humana, antropologia física, medicina forense, neuroanatomia, neurocirurgia, ortopedia, pediatria e radiologia.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

ALMEIDA, Jorge Antônio de; et al. Estudo Anatômico dos Ossos do Crânio no Homem. Saluvista, Bauru, v. 31, n. 3, p. 229-236, 2012.

Artigos relacionados:

Anatomia e Anatomofisiologia do Joelho

Autor: Luiz A. Mestriner.

O joelho é uma junta sinovial do tipo condilar que se caracteriza por suas dimensões e pelas formas incongruentes das superfícies que se articulam – côndilos femorais, côndilos tibiais e facetas articulares da patela. A compreensão da anatomia funcional e cirúrgica do joelho tem por base o conhecimento de suas características mais importantes. É fundamental assinalar que a articulação é constituída por três compartimentos distintos, com características próprias, mas interdependentes na função, sendo, como vimos, incongruente, porque não apresenta “encaixe” ou estabilidade intrínseca, ou seja, é determinada apenas pela arquitetura óssea, como pode ser observado no esqueleto macerado (figura 1).

Figura 1 - Desenho dos ossos do joelho direito. (A) Vista lateral; (B) Vista anterior.

Ler mais deste artigo

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 298 outros seguidores