Padronização do Estudo Radiográfico da Cintura Escapular

Padronização do Estudo Radiográfico da Cintura Escapular

Autores: Pedro Doneux S.; Sérgio L. Checchia; Alberto N. Miyazaki.

As corretas incidências radiográficas para o diagnóstico e tratamento das várias afecções da cintura escapular são, algumas vezes, difíceis de serem obtidas ou interpretadas. Este trabalho tem por objetivo divulgar, não só entre os ortopedistas, mas também junto aos técnicos e especialistas em radiologia, a padronização destas radiografias, baseadas na experiência da literatura e do Grupo de Ombro do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

DONEUX, Pedro; CHECCHIA, Sérgio L.; MIYAZAKI, Alberto N. Padronização do Estudo Radiográfico da Cintura Escapular. Revista Brasileira de Ortopedia, São Paulo, v. 33, n. 11, p. 883-888.
(Tamanho: 118 KB)

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

Escanometria dos Membros Inferiores: Revisitando Dr. Juan Farril

Escanometria dos Membros Inferiores - Revisitando Dr. Juan Farril

Autores: Henrique Zambenedetti Werlang; Gabriel Antônio de Oliveira; Ana Maria Tamelini; Ben Hur Madalosso; Francisco da Silva Maciel Júnior.

A escanometria pelo "método de Farill" é exame rotineiro na maioria dos serviços radiológicos. Ela permanece, há mais de meio século, como um método amplamente utilizado para diagnóstico da diferença entre os membros inferiores e seu respectivo tratamento pelos especialistas de diversas áreas. Contudo, detalhes na técnica do exame e na avaliação das medidas costumam ser ignorados ou negligenciados, comprometendo o resultado final. Este trabalho tem por objetivo divulgar os detalhes preconizados pelo autor, restaurando a precisão do método, bem como discuti-lo em relação aos demais métodos.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

WERLANG, Henrique Zambenedetti. et. al. Escanometria dos Membros Inferiores: Revisitando Dr. Juan Farril, Radiologia Brasileira, São Paulo, v. 40, n. 2, p. 137-141, mar./ abr. 2007.

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

Análise Comparativa entre Incidências Radiográficas para a Osteoartrose do Joelho (AP Bipodal versus AP Monopodal)

Análise Comparativa entre Incidências Radiográficas para a Osteoartrose do Joelho (AP Bipodal versus AP Monopodal)

Autores: Rodrigo Pires e Albuquerque; Cristina Barbosa; Dafne Melquíades; Hilton Koch; João Maurício Barretto; Alexandre Albino; Waldeck Duarte Júnior.

Objetivo: Fazer uma análise comparativa com a aplicação dos critérios da classificação original de Ahlbäck na incidência ântero-posterior (AP) bipodal do joelho em extensão e na incidência ântero-posterior (AP) monopodal do joelho, em joelhos artrósicos sintomáticos. Com esta análise pretendemos observar a concordância, diferença ou as vantagens eventuais entre as incidências e o grau de comprometimento articular entre os médicos ortopedistas e radiologistas com o médico de referência. Métodos: De janeiro de 2012 a março de 2012, foi feito um estudo prospectivo, de 60 joelhos artrósicos sintomáticos (60 pacientes), selecionados clinicamente no ambulatório do grupo de joelho e submetidos às incidências radiográficas propostas na pesquisa. Dos 60 pacientes, 39 eram do sexo feminino e 21 do masculino, com média de 64 anos (variando de 50 a 84). Dos 60 joelhos avaliados, 37 correspondiam ao lado direito e 23 ao esquerdo. A análise foi feita pela estatística de Kappa, que avalia a concordância interobservadores de dados de natureza qualitativa. Resultados: Segundo a escala de Ahlbäck, houve uma concordância significativa (p < 0,0001) intraobservador na classificação da osteoartrose do joelho entre os cinco avaliadores. Houve uma concordância significativa (p < 0,0001) interobservador com médico de referência na incidência em AP monopodal e AP bipodal para os quatro avaliadores. Conclusão: O estudo não observou diferença entre a incidência em AP bipodal versus o AP monopodal na osteoartrose do joelho.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

PIRES E ALBUQUERQUE, Rodrigo; et al. Análise Comparativa entre Incidências Radiográficas para a Osteoartrose do Joelho (AP Bipodal versus AP Monopodal). Revista Brasileira de Ortopedia, São Paulo, v. 48, n. 4, p. 330-335, jul./ ago. 2013.

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

Notas de Aula: Incidências Radiológicas do Esqueleto Axial e Órgãos

Notas de Aula - Incidências Radiológicas do Esqueleto Axial e ÓrgãosAutor: Luciano Santa Rita Oliveira.

Nesta apresentação, disponibilizada pelo professor Luciano Santa Rita em seu site, são demonstradas as técnicas radiográficas mais solicitadas do esqueleto axial e órgãos. Utiliza uma didática com linguagem clara e resumida, além de imagens muito bem adaptadas. Por isso, este material possui grande valor por acrescentar conhecimentos básicos e avançados aos alunos e profissionais das técnicas radiológicas.

Para visualizar e baixar a apresentação completa acesse:

OLIVEIRA, Luciano Santa Rita. Notas de Aula: Incidências Radiológicas do Esqueleto Axial e Órgãos. [S.l], 2010.

Fonte: Tecnólogo em Radiologia

Artigos relacionados:

Artigo da mesma fonte:

Indicações e Contraindicações para Radiografias do Complexo Articular do Ombro e Úmero

Indicações e Contraindicações para Radiografias do Complexo Articular do Ombro e Úmero1
Autores:
André Luiz Silva de Jesus; Hugo Leonardo Pigosso.

Esta apresentação tem como objetivo a descrição e análise, de forma resumida, das indicações e contraindicações para a realização das técnicas radiográficas empregadas ao complexo articular do ombro e úmero. Um levantamento bibliográfico ressaltou a importância da anatomia básica da região em questão, as indicações gerais para a realização das radiografias e principais indicações específicas. Para exemplificar a importância do diagnóstico também foram incluídas imagens radiográficas comparativas. A princípio as limitações que o paciente apresenta na hora da realização do exame não configura em uma contraindicação absoluta. Contudo, o profissional das técnicas radiológicas deve possuir o domínio da anatomia, técnicas radiográficas e criatividade para improvisar e contornar as dificuldades que possam surgir durante a execução do exame.

Para visualizar e baixar a apresentação completa acesse:

JESUS, André Luiz Silva; PIGOSSO, Hugo Leonardo. Indicações e Contraindicações para Radiografias do Complexo Articular do Ombro e Úmero. Santos: Centro Universitário Lusíada, 2013. 21 slides: color. Slides gerados a partir do software PowerPoint 2013.

Artigos relacionados:

Eficácia da Radiografia com Estresse no Diagnóstico das Lesões Ligamentares Crônicas do Complexo Lateral do Tornozelo

Eficácia da Radiografia com Estresse no Diagnóstico das Lesões Ligamentares Crônicas do Complexo Lateral do Tornozelo

Autor: Márcio Luiz Librelotto Rubin.

Introdução: A entorse do tornozelo com lesão ligamentar é uma patologia muito prevalente nos ambulatórios de traumatologia. Objetivos: Considerando que inúmeros municípios brasileiros não dispõem de aparelhos de ressonância nuclear magnética e devido ao alto custo desse exame, este trabalho avaliou a Radiografia de Estresse (RE) do tornozelo no diagnóstico das lesões ligamentares crônicas do complexo lateral do tornozelo, confirmados através da ressonância nuclear magnética (RNM). Métodos: Foram empregados os dois métodos de diagnóstico em 31 pacientes, de ambos os sexos, com idade entre 18 e 60 anos, que apresentaram entorse do tornozelo e lesão do complexo lateral do tornozelo retrospectivamente, com mais de 30 dias de evolução e que apresentavam alguma queixa clínica no tornozelo. Resultados: Dos 31 pacientes avaliados, 100% apresentaram lesão do ligamento fíbulo-talar anterior (LFTA) na RNM, e 14 pacientes (45%) apresentaram lesão do ligamento fíbulo-talar anterior e ligamento fíbulo-calcâneo (LFC). Na Radiografia de Estresse, evidenciou-se que 27 pacientes (87%) apresentavam algum grau de lesão ligamentar. Quando se avaliaram os 14 pacientes com lesão no ligamento fíbulo-talar anterior e fíbulo-calcâneo, a RE permitiu um diagnóstico positivo em 13 casos (92,8%). Conclusão: A Radiografia de Estresse é uma metodologia importante e de baixo custo no diagnóstico das lesões crônicas do complexo lateral do tornozelo.

Para visualizar e baixar a dissertação completa acesse:

RUBIN, Márcio Luiz Librelotto. Eficácia da Radiografia com Estresse no Diagnóstico das Lesões Ligamentares Crônicas do Complexo Lateral do Tornozelo. Porto Alegre, 2012. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

Artigos relacionados:

Da mesma fonte:

Proposta de Padronização do Estudo Radiográfico do Quadril e da Pelve

Proposta de Padronização do Estudo Radiográfico do Quadril e da PelveAutores: Giancarlo Cavalli Polesello; Tarsila Sato Nakao; Marcelo Cavalheiro de Queiroz; Daniel Daniachi; Walter Ricioli Junior; Rodrigo Pereira Guimarães; Emerson Kiyoshi Honda; Nelson keiske Ono.

O diagnóstico das afecções do quadril e da pelve é baseado em história clínica detalhada, exame físico e exames complementares adequados para cada afecção. A radiografia simples ainda constitui o exame inicial de escolha e, diante da sua importância, existe a necessidade da realização de estudos radiográficos padronizados, tanto na sua execução quanto nas séries radiográficas, de acordo com as diferentes afecções. O objetivo deste artigo é propor a padronização das principais incidências radiográficas do quadril e da pelve, realização de séries específicas para diferentes afecções e orientação técnica quanto à realização das mesmas.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

POLESELLO, Giancarlo Cavalli et. al. Proposta de Padronização do Estudo Radiográfico do Quadril e da Pelve. Revista Brasileira de Ortopedia, São Paulo, v. 46, n. 6, p. 634-642, nov./ dez. 2011.

In English: Proposal for Standardization of Radiographic Studies on the Hip and Pelvis.

Artigos relacionados:

Notas de Aula: Incidências Radiológicas do Esqueleto Apendicular

Notas de Aula - Incidências Radiológicas do Esqueleto ApendicularAutor: Luciano Santa Rita Oliveira.

Nesta apresentação, disponibilizada pelo professor Luciano Santa Rita em seu site, são demonstradas as técnicas radiográficas mais solicitadas dos membros superiores e inferiores. Utiliza uma didática com linguagem clara e resumida, além de imagens muito bem adaptadas. Por isso, este material possui grande valor por acrescentar conhecimentos básicos e avançados aos alunos e profissionais das técnicas radiológicas.

Para visualizar e baixar a apresentação completa acesse:

OLIVEIRA, Luciano Santa Rita. Notas de Aula: Incidências Radiológicas do Esqueleto Apendicular. [S.l], 2009.

Fonte: Tecnólogo em Radiologia

Artigos relacionados:

Estudo comparativo entre duas técnicas radiográficas transcranianas para estudo da ATM

Estudo comparativo entre duas técnicas radiográficas transcranianas para estudo da ATMAutores: Marcus Vinicius Linhares de Oliveira; Paulo Sérgio Flores Campos.

Introdução: Estudos através das imagens da ATM apresentam-se como auxílio ao diagnóstico especifico de determinadas patologias relacionadas a essa estrutura anatômica. De modo a oferecer mais informações possíveis, visualização mais clara, redução das dificuldades de interpretação radiográfica, é imperativa a boa execução das técnicas radiográficas e o desenvolvimento de novos métodos de exposição. Objetivo: Avaliar duas incidências radiográficas convencionais que possibilitam o estudo da ATM e relacioná-las com a qualidade da imagem, de acordo com a visualização das estruturas anatômicas. Materiais e métodos: O estudo foi realizado através da execução de duas técnicas radiográficas (SCHULLER e LAW modificado), utilizadas para estudo da ATM em um simulador com ossos do crânio e mandíbula humana recoberta com resina. A qualidade da imagem foi avaliada por três radiologistas com experiência, que atribuíram escores (01 – inadequado; 02 – aceitável com restrições; 03 – aceitável sem restrições) relacionados à sobreposição das estruturas, à visualização da fossa mandibular e à definição do côndilo. Resultados: Para os três avaliadores, a técnica B apresentou a concordância em 75% dos pontos analisados, observou-se que para a técnica A os avaliadores 1 e 3 concordaram em 75%, enquanto que os indicies kappa foram considerados moderados para a técnica B . Conclusão: As técnicas transcranianas permitem a avaliação anatômica e patológica da ATM como forma simples e mais acessível ao paciente sendo a técnica de Law modificado a que apresenta maior concordância entre os avaliadores.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

OLIVEIRA, Marcus Vinicius Linhares de; CAMPOS, Paulo Sérgio Flores. Estudo comparativo entre duas técnicas radiográficas transcranianas para estudo da ATM. Revista de Ciências Médicas e Biológicas, Salvador, v. 11. n. 2, p. 189-193, maio/ set. 2012.

Artigos relacionados:

Bontrager Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico: Atlas de Bolso 7ª Edição

Bontrager Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico - Atlas de Bolso 7ª EdiçãoAutores: Kenneth L. Bontrager; John P. Lampignano.

Bontrager Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico 7ª edição, ajuda-o com o posicionamento radiográfico no cenário clínico, com muitas das mesmas características de um texto maior de sala se aula. Você será capaz de posicionar os pacientes com segurança ao consultar as instruções e fotos sobre várias partes do corpo e procedimentos. Este livro é da mesma ‘família’ do Tratado de Posicionamento Radiográfico e Anatomia Associada 7ª edição, o manual também inclui referências com os números de páginas do tratado, tornando mais fácil para você consultar o tratado para busca de mais detalhes e explicações referentes a determinadas incidências.

Para visualizar uma amostra do livro acesse:

BONTRAGER, Kenneth L.; LAMPIGNANO, John P. Bontrager Manual Prático de Técnicas e Posicionamento Radiográfico: Atlas de Bolso 7 ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

Artigo relacionado:

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 284 outros seguidores