Category: Mamografia

Caracterização Tecnológica da Mamografia Digital em Portugal: Progresso de um Projeto de Implementação

Caracterização Tecnológica da Mamografia Digital em Portugal - Progresso de um Projeto de Implementação

Autores: Cláudia Reis; Mário Oliveira; João Alves; José Carlos Marques; Ana Pascoal.

Introdução: A mamografia é o principal método de diagnóstico por imagem utilizado no rastreio e diagnóstico do cancro da mama, sendo a modalidade de imagem recomendada em vários países da Europa e Estados Unidos para utilização em programas de rastreio. A implementação da tecnologia digital causou alterações na prática da mamografia, nomeadamente a necessidade de adaptar os programas de controlo de qualidade. Objetivos: Caracterizar a tecnologia instalada para mamografia em Portugal e as práticas adotadas na sua utilização pelos profissionais de saúde envolvidos. Concluir sobre o nível de harmonização das práticas em mamografia em Portugal e a conformidade com as recomendações internacionais. Identificar oportunidades para otimização que permitam assegurar a utilização eficaz e segura da tecnologia. Metodologia: Pesquisa e recolha de dados sobre a tecnologia instalada, fornecidos por fontes governamentais, prestadores de serviços de mamografia e indústria. Construção de três questionários, orientados ao perfil do médico radiologista, técnico de radiologia com atividade em mamografia digital e técnico de radiologia coordenador. Os questionários foram aplicados em 65 prestadores de serviços de mamografia selecionados com base em critérios de localização geográfica, tipo de tecnologia instalada e perfil da instituição. Resultados: Foram identificados 441 sistemas para mamografia em Portugal. A tecnologia mais frequente (62%) e vulgarmente conhecida por radiografia computorizada (computed radiography) é constituída por um detector (image plate) de material fotoestimulável inserido numa cassete de suporte e por um sistema de processamento ótico. A maioria destes sistemas (78%) está instalada em prestadores privados. Aproximadamente 12% dos equipamentos instalados são sistemas para radiografia digital direta (Direct Digital Radiography – DDR). Os critérios para seleção dos parâmetros técnicos de exposição variam, observando-se que em 65% das instituições são adotadas as recomendações dos fabricantes do equipamento. As ferramentas de pós-processamento mais usadas pelos médicos radiologistas são o ajuste do contraste e brilho e magnificação total e/ou localizada da imagem. Quinze instituições (em 19) têm implementado um programa de controlo de qualidade. Conclusões: Portugal apresenta um parque de equipamentos heterogéneo que inclui tecnologia obsoleta e tecnologia “topo de gama”. As recomendações/ guidelines (europeias ou americanas) não são adotadas formalmente na maioria das instituições como guia para fundamentação das práticas em mamografia, dominando as recomendações dos fabricantes do equipamento. Foram identificadas, pelos técnicos de radiologia e médicos radiologistas, carências de formação especializada, nomeadamente nas temáticas da intervenção mamária, otimização da dose e controlo da qualidade. A maioria dos inquiridos concorda com a necessidade de certificação da prática da mamografia em Portugal e participaria num programa voluntário.

Para visualizar e baixar o artigo completo acesse:

REIS, Cláudia; et. al. Caracterização Tecnológica da Mamografia Digital em Portugal: Progresso de um Projeto de Implementação. Revista Saúde & Tecnologia, Lisboa, Número Temático 1 (Câncer de Mama), p. 13-23, out. 2012.
(Tamanho: 528 KB)

Artigos relacionados:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição 4.0 Internacional.

Diagnóstico por Imagem da Mama: Mamografia, Ultrassonografia e Ressonância Magnética

Curso de Atualização em Mamografia para Técnicos e Tecnólogos em Radiologia

Curso de Atualização em Mamografia para Técnicos e Tecnólogos em RadiologiaA Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) do Ministério da Saúde (MS), por meio da Coordenação-Geral de Ações Técnicas em Educação na Saúde do Departamento de Gestão da Educação na Saúde (DEGES) desenvolve políticas e programas com o propósito de ordenar recursos humanos para a Saúde, como determina o art. 200 da Constituição Federal. Neste sentido, objetiva:

  • Contribuir para a adequada formação, alocação e qualificação dos profissionais, bem como a valorização e a democratização das relações do trabalho;
  • Ampliar as oportunidades de formação profissional e de qualificação técnica para trabalhadores de nível médio, tendo como propósito a qualidade das Redes de Atenção à Saúde do SUS;
  • Consolidar, nos planos político, pedagógico e administrativo, as Escolas Técnicas do SUS (ETSUS).

A efetivação dos objetivos do Programa de Formação de Profissionais de Nível Médio para a Saúde (Profaps) implica a definição de diretrizes e prioridades para a área de formação profissional e de qualificação técnica com foco nos trabalhadores de nível médio do Sistema Único de Saúde.
Nessa linha, a SGTES/DEGES investiu na aquisição e produção de recursos e material didático específico para os cursos de formação profissional técnica, prioritários no Profaps e que estão sendo desenvolvidos pelas escolas técnicas do SUS.
Esse material foi desenvolvido com o objetivo de apoiar o processo de formação, aperfeiçoamento e especialização do técnico em radiologia inserido no processo de trabalho do Sistema Único de Saúde, realizado pelas Escolas Técnicas do SUS (ETSUS).
A concepção desse material foi feita tendo por base as Diretrizes e Orientações para a Formação do Técnico em Radiologia, do Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação na Saúde e Coordenação-Geral de Ações Técnicas em Educação na Saúde em relação ao Eixo Estruturante II – Bases científicas e tecnológicas para o trabalho em radiologia, voltadas para o diagnóstico e a terapêutica.
Está estruturado por modalidades de diagnóstico por imagem, buscando o alcance das competências:

“Competência 4 – Realizar exames de diagnóstico por imagem, garantindo sua qualidade com o mínimo de risco para o usuário, o profissional, a equipe e o meio ambiente.”
“Competência 5 – Participar em equipe do planejamento e da realização dos procedimentos terapêuticos, relacionando-os às suas finalidades, efeitos e riscos, aplicando medidas de proteção radiológica voltadas para o usuário, o profissional, a equipe e o meio ambiente.”
“Competência 6 – Realizar ações no programa de garantia e controle de qualidade nos serviços de diagnóstico por imagem e terapia.”

Este livro trata do Contexto histórico do Câncer de Mama, da Situação Epidemiológica do Câncer de Mama, das Políticas Públicas Direcionadas ao Controle do Câncer de Mama, das questões referentes à abordagem Morfofuncional da Mama, do Câncer de Mama e das Propriedades Físicas dos Tecidos da Mama. Ademais, o livro apresenta outros capítulos mais específicos sobre aspectos relacionados ao Equipamento Mamográfico, do Exame de Mamografia: abordagem da usuária, posicionamentos e incidências; dos Achados de Imagem no Exame de Mamografia, dos Programas de Garantia de Qualidade em Mamografia. E, por fim, sobre a Proteção radiológica em serviços de mamografia.

Para visualizar e baixar o livro completo acesse:

BRASIL, Ministério da Saúde. Curso de Atualização em Mamografia para Técnicos e Tecnólogos em Radiologia. Brasília, Ministério da Saúde, 2014.
(Tamanho: 8,38 MB)

Artigos relacionados:

Artigos da mesma fonte:

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-Não Comercial-Sem Derivações 4.0 Internacional.